domingo, 11 de outubro de 2015

2009 2010: O Último False Start?

Esta época marcou uma mudança de direcção por parte do Benfica. Em vez de somente reestruturar e recuperar o clube, LFV optou por investir forte no futebol.

Desde já aviso que não vou escrever sobre casos e/ou polémicas.
Depois de estar quatro anos sem triunfar em qualquer prova (excepto a Taça da Liga na época anterior que ainda era jovem), optou-se por uma abordagem diferente: O final de apostas em treinadores estrangeiros, uma vez que por mais qualidade que tivessem, não conheciam o futebol português e não se adaptavam à forma mais ou menos hábil como os outros conseguiam triunfar. Também era necessário alguém que conhecesse os jogadores que já cá estavam de forma a não perder muito tempo a estruturar a equipa.

O treinador escolhido foi Jorge Jesus. O sporting não o queria e o porto não precisava dele. Veio para o Benfica, ele que ficou conhecido por afirmar que ganhar ao Benfica, só na playstation.

Outra mudança foi operada no sector das contratações: Era necessário ter qualidade para ganhar alguma coisa em Portugal... Qualidade bem acima da mediania com que o Benfica se tinha habituado nos últimos tempos (excepções sempre houve como Katsouranis e Miccoli)! e o Benfica apetrechou o seu plantel de uma forma fantástica, se bem que ainda houve espaço para contratações menos... Felizes.

Para atacar o campeonato e o resto, o Benfica contratou um punhado de jogadores de grande qualidade:
Qual dos três o melhor? Que raio de pergunta esta... Difícil de responder pois eram jogadores para três posições bem diferentes.

Se Javi e Saviola eram mais vistosos, Ramires era uma formiguinha autêntica e foi dos três o que mais me agradou.

Javi trouxe um pulmão incansável para o meio campo, era como se ele fosse... Dois! Trinco de grande entrega física e com muita disciplina táctica. Saviola era arte para o ataque... A alcunha de coelho ficou bem comprovada naquele campeonato pois o argentino aparecia ali vindo do nada e marcava (marcou dois golos importantes que valeram seis pontos - porto e rio ave). Voltou a formar uma velha tertúlia futebolística com o amigo Pablo. Javi e Saviola, vieram do Real Madrid!!!!

Entre outros nomes menos sonantes, e três chegaram em Janeiro, destaco o brasileiro Weldon:
Por incrível que possa parecer, Weldon foi dos jogadores mais importantes na caminhada para o título. Logo na primeira jornada (obteve o golo do empate) e decisivamente na figueira da Foz (a perder por dois-zero, foi ele a marcar os dois primeiros golos para no final ficar dois-quatro) e em Coimbra ao apontar os dois primeiros golos (dois-três no final). E foi dos menos utilizados (quatrocentos minutos)!

JJ, deve ter esfregado as mãos com esta qualidade a chegar. Mas teve de trabalhar com os jogadores que cá estavam e fez um trabalho de recuperação mental com alguns jogadores, que se tornaram fenomenais no decurso da época:
David Luiz, fixou-se a central até ao dia em que o cérebro parou a JJ. Com o passar dos jogos, e ainda começou a lateral esquerdo, formou uma das melhores duplas centrais do Benfica dos últimos tempos. Raçudo e veloz, foi um dos ídolos das bancadas da Catedral.

Conta-se que assim que encontrou Di Maria pela primeira vez, JJ terá afirmado que o lugar de extremo esquerdo era dele e que o argentino só tinha de se deixar de paneleirices e jogar o que sabia. Angelito foi um terror para as defesa adversárias, eram dribles estonteantes, assistências milimétricas e golos espectaculares sempre em velocidade super sónica! E também defendia!

Fábio Coentrão estava para ter mais uma época desastrosa... Teve sorte em o Benfica não ter um defesa esquerdo decente e em JJ ter visto que o puto de Caxinas poderia ser o dono daquela posição... Como Peixoto e Schaffer não resultavam, Coentrão assim que entrou jamais saiu. O flanco esquerdo do Benfica era uma verdadeira bomba.

Aimar padecia de um acumular de lesões que o tinham afastado dos grandes campeonatos. JJ viu que o lugar dele era a dez e não a segundo ponta de lança e os dados estavam lançados se bem que só para uma hora de jogo de cada vez. Foi uma honra ver Pablito Aimar jogar... Magia... Pura magia quando ele jogava. A vitória na Catedral sobre o sporting, deveu-se muito à sua entrada na segunda parte!

Óscar Cardozo também se tardava em afirmar. Tinha um pontapé forte, era alto e nada mais. Esta foi a primeira época a sério dele uma vez que já tinha quem o alimentasse constantemente... Foi o melhor marcador  do campeonato com vinte e seis golos...

JJ também contou com os seguintes jogadores fundamentais:
Luisão foi o pilar da defesa. Há quem goste e quem não goste dele mas foi ele sempre ali com outros...

Maxi foi Maxi. Um pulmão atómico durante toda a época. Sempre a cem... A duzentos por cento! Só partido é que o paravam... E ele nunca se partiu.

Carlos Martins, também com muitos problemas físicos, foi o substituto de Aimar. Foi muito útil à equipa tendo apontado grandes golos, feito grandes assistências e sido decisivo frente ao guimarães.

Quim foi o guarda-redes para o campeonato. Confesso que não era o meu preferido mas foi ele o último homem a suster os adversários. Acabou por fazer uma boa época.

Rúben Amorim. Fez uma grande época... Substituiu Maxi e Ramires no flanco direito e Javi e Aimar no centro. Muito bom jogador táctica e tecnicamente. Lesões e quezílias com o treinador...

Outros jogadores como Nuno Gomes (o capitão foi muito importante em Olhão ao empatar um jogo muito complicado), Aírton, Sidnei, Urreta, Kardec, Peixoto, Éder Luís, Menezes, Keirrisson, Shaffer, Luís Filipe e Miguel Vítor também se sagraram campeões e deram o seu contributo sempre importante à equipa. Mas foram os menos utilizados... Mantorras nem tocou na bola!

A época até nem começou bem. O Benfica empatou logo a abrir com o marítimo mas depois entrou numa ascensão notável que culminou, em trinta jornadas, com a obtenção de quatro empates (marítimo, olhanense, setúbal e sporting); duas derrotas (as expectáveis em braga e no porto) e vinte e quatro vitórias. Sofreu vinte golos e aviou setenta e oito bicadas...

JJ fez um trabalho relativamente bom. Nesta altura, e podem confirmar isso lendo os primeiros artigos deste blogue, tinha sérias dúvidas em relação à forma como ele geria o plantel. Espremia em demasia os mesmos jogadores até não darem mais e por isso não fomos mais longe na liga Europa.

Pessoalmente, nunca concordei com a dispensa de Urreta e Schaffer em oposição com as contratações de Peixoto e Júlio César. E não entendi as contratações de Janeiro... Nenhum singrou se bem que Airton me pareceu ser um excelente médio...

Mas é também verdade que o termo rolo compressor e nota artística ficam sem a menor dúvida ligados a ele. Um futebol ofensivo explanado de forma descarada e avassaladora, percorreu o país de norte a sul. A táctica do estacionar o autocarro, voltou a aparecer durante esta época. JJ, optou sempre por dois avançados com um dez ofensivo atrás. Sorte teve em ter Javi, Rúben Amorim e Ramires, Maxi, Coentrão, e a dupla de centrais que foram o suporte para os artistas da frente... Teve sorte e aproveitou-a bem.

O Benfica acabou o campeonato com mais cinco pontos do que o segundo classificado (sp de braga) mas só se sagrou campeão a nove de maio de 2010... Na última jornada.
As palavras de quem sabe do ofício:
Falta recordar visualmente, agora com movimento, aquela caminhada fantástica para mais um título:
O último capítulo:
A festa:
Grandes golos que se marcaram. Grande futebol que se praticou. Muito adepto-colinho que se deu ao Benfica durante aqueles meses todos...
Mas enguiçou logo a seguir! Pode ser que tenha sido o último false start...
E Pluribus UNUM

11 comentários:

  1. Outra frase ficou célebre quando Jesus foi contratado: "comigo os jogadores vão correr o dobro". E correram.
    E concordo, Ramirez, acabado de chegar foi um dos jogadores que mais impressionou. E um jogador daqueles, nunca que só pode ficar só uma época no clube. Não para sair por uns "míseros" 20M€. Um jogador daqueles deve ficar no mínimo duas, três época, e então ser vendido mas por muito dinheiro, tal como se faz, e muito bem, no FC Porto.
    E a época seguinte começou a ser perdida com o despachar do guarda-redes titular Quim e a contratação de um espanhol que não valia um chavo e isso viu-se logo na pré-temporada.E na verdade, se há algo de que Jesus sempre mostrou é não perceber de guarda-redes. Sempre os quis muito altos, mas todos quantos foi buscar nada deram e depois não conseguia ver, que ali debaixo das suas saias, estava aquele que poderia ser no futuro o melhor guarda-redes do mundo.E se soubesse da história do clube, saberia que um dos melhores guarda-redes de sempre foi Bento só tinha 1,73m.
    Da época 2009/10 o amargo de se ser humilhado no Dragão. Contra dez, e a meia hora do fim empatados, acabamos por levar três.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correcto Konigvs, JJ também ficou célebre por ter proferido essa frase... E, já agora, outra na cara do pdac: Este ano o Benfica vai ser campeão.

      Em relação à saída do Ramires, penso que ela já estava acordada na altura em que o Benfica o foi buscar ao Brasil. Mas de facto concordo absolutamente que jogadores daqueles devem ficar mais tempo. Di Maria também deveria ter ficado mas a saída dele permitiu ao Benfica contratar Gaitan...

      Quanto aos Guarda-redes, enfim a história é o que é: não se renovou com o Quim e veio o Roberto que foi alvo da imprensa o que o fragilizou.

      Não diria humilhação no dragão. O certo é que até poderíamos ter empatado caso Weldon tivesse sido tão sagaz numa jogada de ataque antes do terceiro golo. Mas convenhamos que, e peço já desculpas por ir falar em casos, com benquerença a arbitrar... Coentrão e Di Maria foram afastados do jogo contra o marítimo!

      Mas de facto, com tanto tempo em superioridade, daquele Benfica esperava-se um pouco mais! Ficou para a última jornada.

      Saudações Gloriosas.

      Eliminar
  2. Se não estou em erro o próprio Ramires teria falado mesmo que o Benfica seria seria um trampolim para outros voos ou algo do género. Ao menos depois disso, e que me lembre, não se tem ouvido mais jogadores a falar que o Benfica é uma barriga de aluguer.
    Mas isso para mim, de se acordar vender o jogador na época seguinte não é gerir uma equipa. Porque não cria estabilidade e todos os anos se tem de andar de calças na mão à procura de um jogador para substituir, e nunca se sabe se vai chegar e render ou se vai ser um fiasco. E isso aconteceu com Ramirez, bem pior, mas aconteceu também com Markovic, que ainda por cima foi vendido quase pelo mesmo dinheiro que foi comprado, e isso não consigo entender, quando se estava a falar de um jogador de vinte anos.

    E o Roberto não foi fragilizado pela imprensa! Ele é que se fragilizou, ainda na pré-temporada sofrendo frangos atrás de frangos e notava-se que na baliza tremia como varas verdes. Curiosamente, e algo que nunca compreendi, era como assobiavam o Cardozo por falhar um golo, mas aplaudiam os frangos do Roberto.

    Em relação ao Dragão, durante muitos anos parecia que o Benfica tinha um qualquer complexo psicológico que entra ali cheio de medo. E pior ainda é quando tem treinadores medrosos, e também Jesus foi medroso várias vezes no Dragão. E se o treinador está com medo, os jogadores sentem-no. E foi assim que perdemos ao 92". Mas esse campeonato não perdido lá, foi perdido em casa com o Estoril. E eu também poderia falar da arbitragem do jogo que deu o título em Paços de Ferreira, mas culpa teve o Benfica em não fazer o seu trabalho e depois sujeitou-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Barriga de aluguer... Boa :D

      Não me lembro do Ramires dizer isso mas o Bruno César disse-o e agora está no estoril...

      Acho que o Roberto não aguentou e tinha de facto naquela altura muitos problemas... Estruturais!

      Treinadores medrosos pois. Essa época foi o quase o cúmulo: erros de arbitragem e lição mal estudada por parte do Benfica (jj incluído). Pior foi a época passada que deveria ficar na histórias das roubalheiras (ver caixa lateral à direita que diz sistema e ler as anatomias).

      Eliminar
    2. Fiz agora uma pequena pesquisa, e fui logo encontrar as declarações de Murillo que também falou em "trampolim" e nas caixas de comentários alguém lembrava também as palavras de Ramirez.
      A posição de guarda-redes - tal como de ponta-de-lança - tem os seus quês. O Artur por exemplo, passa de terceiro guarda-redes do Braga a titular da baliza do Benfica num ano. E chega e parece muito seguro, capaz no último segundo de fazer grandes defesas, e subitamente, torna-se distraído e pouco seguro. Já quando vi as primeiras paradas do Oblak fiquei abismado, até com a forma com ele coloca as mãos para defender remates potentes, onde qualquer guarda-redes soca, ele segura a bola nas mãos.
      E mais uma vez não compreendo o porquê de o terem assobiado, visto tratar-se de alguém que foi muito mal tratado pelo clube. Mas logo ali mostrou a sua fibra, dizendo ao Vieira, ou é para jogar ou vou-me embora. E saiu porque pagaram a cláusula - que mal é que ele fez?

      Eu agora quase não vejo futebol, mas pelo que me vou apercebendo, os erros de arbitragem são muito mais ligeiros. Não sei se foi depois do apito dourado ou se foi por outros motivos, mas na verdade nada se compara aos tempos do Azevedo e dos manos Calheiros. Mas este ano temos a novidade de ser o primeiro classificado a reclamar! Mas eles hão-de ter um lindo enterro hão. Mas é preciso é ganhar já o próximo jogo, de preferência de forma clara, sem margem para dúvidas nem reclamações. E por certo que o Vitória será o primeiro a quer mostrar que tem cérebro. E que ganhe e que continue na dele, sem dar trela ao nosso ex-treinador.

      Eliminar
    3. Assobiar o Oblak? Não creio que isso se tenha passado alguma vez. Com todo o respeito a todos os guarda-redes que passaram pelo Benfica pós Michel Preud'Homme, Jan Oblak foi o melhor desde que o Belga abandonou o Benfica. O Oblak fez fica pé ao presidente no início dessa época, No final, teve medo, por causa da debandada, e o empresário foi atrás dos euros... Mas talvez tenha sido melhor porque veio um imperador :D

      Já o Artur... Poderia ter sido mas... Preferiu outra coisita! Aliás, comparemos Artur com Júlio César. O imperador está sempre ligado, ele não descura nada na vida profissional. É jogador e enquanto o é nada mais faz do que treinar e jogar... Chega ao Benfica depois do desastre que foi o mundial e, desempregado/destruído/aleijado, faz a época sensacional que fez.

      Os erros são mais ligeiros e os árbitros escudam-se no critério (na época passada nem assim lá foram)! É sempre uma bela desculpa. felizmente que proença, benquerença e o ferreira já cá não andam. Falta o miguel e mais uns poucos. Falta que os novos se deixem de merdas e cortem com as leis do passado: Tu ajudas a malta a ser campeã e a f€€der o Benfica que a malta coloca-te a internacional.

      Eliminar
    4. Viu a capa d'A Bola de 5a feira? É uma capa só com o Oblak, em que uma das frases é "Nada fiz de errado para me assobiarem". Creio se referia ao jogo de Madrid. Também diz que "Jesus alcançará no Sporting o conseguiu na Luz" e "Jimenez mostrará no Benfica que é grande jogador".
      Concordo, depois de Preud'homme creio que Oblak terá sido o melhor, mas temos de ter em conta que só jogou meia época. Entre os dois talvez Enke.

      Um guarda-redes de equipa grande tem mesmo de estar sempre ligado! Pode estar meia hora parado, frio, mas de um momento para o outro pode ter de fazer uma grande defesa. Já num clube pequeno está sempre quente, e isso por vezes pode induzir em erro sobre a qualidade ou não do jogador. E o peso da camisola também poderá contar muito. Oblak aos 20 anos defendia na meia final com a Juventus como se nada fosse. Foi uma grande perda. E ele sim, merecia ter sido blindado com uma cláusula de rescisão de muitos milhões.

      Eu acho que agora, depois do que se passou com o apito dourado, andará tudo mais cauteloso, apesar das influências, e nisso cada um puxa a brasa à sua sardinha. E depois também me parece que a qualidade sem dúvida que aumentou. Eu vejo os jogos da Europa dos clubes portugueses, e vejo arbitragens que não lembram ao Diabo, nem com cinco árbitros!

      Eliminar
  3. Oblak em meia epoca sofreu um terço dos golos que Julio Cesar numa epoca inteira em todas as competições. Oblak era outro nivel, prédestinado a ser o melhor GR do mundo, tal como Preud Homme, Bento, Damas, Van der Star, Smeichel, etc etc.. mas o empresário lixou a vida dele. Na epoca do Roberto a GR, o SLB perdeu o campeonato por causa do Emerson ... não me venham com histórias que foi por causa do Roberto, ele também não teve a defesa que o pudesse garantir estabilidade, prova disso foi quando ele defendeu o penalty do Hugo Leal e a partir daí fez uns 10 jogos de altissimo nivel, mais que metade Emerson não jogou.. Se quiserem ir mais longe.. Roberto foi considerado o melhor GR no campeonato espanhol durante 2 epocas, depois rumou ao olympiakos e ve-se o GR que ele é.. Oblak afirmou-se, tambem graças á defesa que o SLB tinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conquistador, penso que confundiste as épocas em que Roberto e Emerson estiveram no Benfica.

      O espanhol foi jogador do Benfica em 2010/11 e o brasileiro em 2011/12.

      E é verdade, Roberto foi o melhor GR em Espanha após sair do Benfica... E Nolito é pretendido pelo Barcelona...

      Eliminar
  4. Como se costuma dizer "o pior cego é o que não quer ver". Roberto nunca foi guarda-redes para o Benfica, nem para nenhum clube de topo. "AH e tal foi melhor guarda-redes de Espanha". Foi? Onde? Em que clubes? No Real? No Atlético? No Barcelona? No Valência? Um qualquer espanhol se fosse realmente bom jogava em ESPANHA! Não ia jogar na terceira divisão europeia como é o campeonato grego, onde até eu sem curso de treinador, e como dizia o Quinito, até treinava por telemóvel e era campeão pelo Olympiacos tal é a diferença para os restantes clubes.

    O Oblak afirmou-se porque é muito bom. Foi bom por todos os clubes por onde passou, e foi bom no Benfica tal como acabou por se impor no Atlético. O Roberto é grande mas só em altura. De resto é uma nódoa. Ainda me lembro daquele jogo da Taça em que ganhamos 2-0 no Dragão e em que ele depois aviou três frangos na Luz. O Benfica perdeu o campeonato de 2011 por erros internos, por muitos erros de arbitragem, pelo Roberto, mas especialmente pela teimosia do treinador que frango após frango insistia em colocá-lo a jogar.

    E ainda me lembro bem. Estava a jantar com amigos, e íamos botando o olho ao jogo do Benfica. Eis se não quando é penalti contra o Benfica e o guarda-redes expulso. Roberto entra e uma amiga, portista profere as seguintes palavras proféticas: "O Roberto vai entrar, vai defender o penalty e já vai ser o maior e não vai ser despachado". E infelizmente assim foi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em relação ao Roberto, mais não digo. Foi o que foi e pior... Tramou-nos na Grécia há uns anos! A tal eliminatória da TdP teve mais história: Aquela segunda parte à porto (com muito aditivo) + um golo em fora de jogo + erros de jj...

      Lembro-me desse jogo, frente ao setúbal onde Júlio César derruba um avançado e é expulso!

      Eliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo