segunda-feira, 24 de março de 2014

24ªJ: SL Benfica 3 Académica 0

E acabou por ser um jogo fácil. Fácil porque os jogadores do Benfica assim o tornaram. Houve muito querer e inteligência em gerir esse querer, quando assim é nem com isto os três pontos nos escapam:
Mais um penalti não assinalado!
Quando assim é, por mais que se traga a lição bem estudada (4-3-3 a atacar; 4-5-1 a defender) não é possível porque a qualidade superior do Benfica e a ajuda incomparável dos adeptos levam o clube a altos voos.

Ontem, os jogadores tornaram as coisas simples e só ficaram a dever a si próprios o facto de o resultado não ter ultrapassado uma mão cheia de golos. Tem sido esse o sentimento que me tem batido à porta no final dos jogos deste campeonato ultimamente, e se por vezes parece frustrante, de cabeça fria é melhor que assim seja. Deste modo, a coisa não sobe à cabeça dos jogadores, técnicos, dirigentes e dos adeptos. A cabeça acaba por se manter mais ou menos fria e concentrada no trabalho do dia-a-dia... Até porque quarta-feira vamos ao norte guerrear com o smaug português...

Rodrigo está com a "pica" toda, não desiste facilmente de uma jogada. É um jogador que está a um nível médio-alto no seu processo de evolução e possui já características de avançado volante. Se os jogadores da académica não sabiam disso, o hispano-brasileiro tratou de demonstrar ao longo da partida. E começou bem cedo aos onze minutos a sua batalha contra os ferros, tendo Lima não desistido do lance e consequentemente aberto o activo:
Logo à primeira, ter-se-ão queixado os "estudantes"... "Que sorte", choraram os não adeptos do Benfica... Se o Benfica marca à primeira tudo não passa de um misto de sorte (do Benfica) e de aselhice (dos outros)... Se o Benfica não consegue marcar, já se deve à falta de qualidade dos seus jogadores...

Também deve ter sido isso que aconteceu no lance que originou o segundo golo do Benfica: Troca intensa de bola perto da área "encarnada" desde o lado esquerdo para o flanco oposto onde a bola chega a Markovic que entrega de bandeja a Lima para este dilatar o marcador:
Muita sorte... Devem estar a brincar! Futebol de classe meus caros! Jogo bem pensado, bem trabalhado e bem concluído!
Certo que não foi sempre assim ao longo dos noventa minutos porque o Benfica mais uma vez, e bem, baixou o ritmo na segunda parte. Uma equipa que sabe que é superior, deve entrar para marcar cedo e gerir a preceito os destinos da partida. O fantasma do cansaço ainda não desapareceu da mente de todos...

A primeira parte acabou com mais um hino ao futebol espectáculo que Siqueira, após uma sucessão fantástica de tabelas, não teve visão cabal para concluir: Era só assistir Gaitan!
É neste lance se pode observar o modo em como o Benfica consegue ser capaz de enlear os adversários: Lima e Rodrigo ficaram mais atrás (Lima no flanco esquerdo, Rodrigo na cabeça da área), Siqueira fez de extremo e Gaitan de avançado...

Na segunda parte, a máquina carburou a meio-gás. isso permitiu que a académica começasse a chegar mais perto da baliza do Oblak mas à hora de jogo, Enzo Perez decidiu ir por ali fora e acabar com as dúvida, se é que elas existissem...
Vitória garantida perante os cerca de cinquenta mil adeptos presentes no estádio.
Até final, a académica teve duas situações perigosas: Uma bem dentro da área e outra através da marcação de um livre directo. Fejsa ainda não conseguiu acertar na baliza; Rodrigo voltou a encontrar os ferros, Sálvio idem e Lima quase fazia o seu terceiro golo não fosse o "keeper" dos estudantes um tipo com atenção.

JJ viu que Gaitan e Rodrigo já não estavam bem fisicamente e optou por os tirar. Depois foi Enzo a ser poupado. Acabou o jogo sem lesionados (em princípio) o que também é uma grande vitória.
Resumindo, uma excelente exibição por parte der um conjunto de jogadores que dá a ideia de ter as ideias muitíssimo bem assimiladas. Creio mesmo que é algo que se estende a todo o plantel, uma vez que o que aconteceu na passada quinta-feira foi uma quebra física e nada mais mais do que isso pelo que se tal não tivesse acontecido...

Agora faltam disputar dezoito pontos. Mantiveram-se as distâncias para o segundo e terceiros classificados, aliás o resultado da Luz ter-se-á reflectido na produção do clube do Porto mas não na produção do xistra:
Continua-se a deixar usar braços lá para cima e parece que se ouviu muito o nome Benfica a ser entoado pelos sd's... No entanto, as minhas previsões para a jornada, em termos de arbitragem, não se concretizaram plenamente: Na madeira o sporting viu o árbitro a marcar um penalti a seu favor (e bem), na Luz o jogo não deu muitas hipótese ao árbitro para ele mostrar o que quer que ele tivesse de mostrar e...
Tudo segue sem convulsões para a próxima jornada, o Benfica tem a seguinte sucessão de resultados no campeonato: DVEVVEVVVVVEVVVVEVVVVVVV, Tem o seguinte goal-average: 47-15. O Benfica tem o direito de aspirar a ser campeão mas também tem o dever de não perder o rumo que tem vindo a ser traçado: Concentração absoluta e continua demonstração de coragem e qualidade nos jogos ainda a disputar.
A seguir vêm jogos fulcrais (quais não o são) contra o roque e a amiga... Ou contra a amiga e o roque... Matematicamente, o clube do Porto ainda não está arredado da conquista do título mas tem a tarefa muito complicada pelo que o que lhe resta é a Liga Europa, a Taça de Portugal e a Taça da Liga (onde arranjou maneira de ir à meia-final). Sendo assim, quarta-feira temos um jogo complicado no Porto, vão ser noventa minutos a ferver porque eles vão entrar com tudo e talvez mais do que tudo (não sei que vai arbitrar) e o Benfica tem de manter o seu nível, tendo jogadores para isso.

No próximo Domingo (dia 30 às 17 horas) vamos a Braga enfrentar a equipa que está em sexto lugar a vinte e nove pontos do Benfica. Sexto lugar a três pontos do nacional que é o último da tabela no que diz respeito ao apuramento para a Liga Europa... Penso que não haverá mais a dizer sobre o grau de importância desta partida até porque sabemos como é que uma secção daquela cidade trata o que quer que esteja relacionado com o Benfica!
E Pluribus UNUM

1 comentário:

  1. Mais uma crónica sem reparos.
    Saudações gloriosas.
    vito g.

    ResponderEliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo