sexta-feira, 26 de julho de 2013

Jogos Imortais: Sport Lisboa e Benfica 5 Real de Madrid 3

Não é tempo desperdiçado ler este post. Será um recordar para uns e um tomar conhecimento, para outros, de que a história gloriosa do Benfica, fora de Portugal, teve o seu início há muitos anos. Por outro lado, está colmatada uma das lacunas deste blogue: Não fazer referência às conquistas mais antigas!
Os Heróis desta segunda gloriosa caminhada
Certo que esta partida de futebol não foi o primeiro voar glorioso do clube extramuros. Os dois anteriores serão canonizados neste blogue noutra altura.

Estávamos na época de 1961-1962, era a sétima edição da taça dos clubes Campeões europeus e o Benfica iria defender o título conquistado ao Barcelona na época anterior. Por ser o campeão em título, não jogou na primeira ronda, mas essa ronda teve um representante Português: O sporting que, no entanto, seria eliminado logo aí pelo partizan (1-3).
Jogadores, treinador, bola... Acção!
Este preço... Com 50€, a malta ia e vinha... Pelo menos, 64 mil almas...
Memorabilia criada sobre o jogo
Eis os jogos do Benfica nessa caminhada gloriosa até à segunda final da antiga taça dos clubes campeões europeus:

8avos de Final - Áustria de Viena vs Benfica:
  • 1ª Mão (1961-11-01): Austria de Viena 1 SL Benfica 1 - José Águas.
  • 2ª Mão (1961-11-08): SL Benfica 5 Austria de Viena 1 - Santana (2), José Águas (2) e Eusébio.
Fica aqui um resumo destas duas partidas:
4os de Final - Nuremberga vs Benfica:
  • 1ª Mão (1962-02-01): Nuremberga 3 SL Benfica 1 - Cavém.
  • 2ª Mão (1962-02-22): SL Benfica 6 Nuremberga 0 - Coluna, Eusébio (2), José Augusto (2) e José Águas.
Meia final - Tottenham Hotspur vs  Benfica:
  • 1ª Mão (1962-03-21): SL Benfica 3 Tottenham 1 - Simões, José Augusto (2).
  • 2ª Mão (1962-04-05): Tottenham 2 SL Benfica 1 - José Águas.

Fica um resumo escrito da eliminatória em inglês e o vídeo da partida em Londres:
Dezassete golos marcados e oito sofridos...

Estávamos na segunda final consecutiva. Prova cabal de que a vitória na primeira não tinha sido coincidência ou fruto da sorte. Aqui fica um resumo do que foram estas eliminatórias, feito pelos próprios jogadores (retirado do programa "Vitórias e Património" da BenficaTV.
Agora era o Real Madrid que vinha defender a sua coutada. Por outro lado, era o Benfica que também iria defender a sua ousadia em ter entrado no reino de outros sem ter pedido licença...

Ainda eu não era nascido, por isso os comentários ficam a cargo de quem lá esteve nessa altura. Toca a dar ao rato para verem melhor algumas raridades. Esta primeira sequência é fruto do Benfiquismo do meu pai, ele que sabe o que é a mística do clube e sente o estado e as razões da actualidade... Para lerem com mais precisão, abram as imagens numa nova janela.






Uma relíquia, que também é símbolo de um modo de jornalismo há já muito ausente destas paragens, uma prosa de outros tempos não avençados.

O Benfica ganhou a partida por 5 a 3. Esteve a perder, as gentes viram as coisas mal paradas mas o campeão europeu em título, era forte demais para a armada invencível espanhola que tinha, entre outros, Santamaria, Del Sol, Di Stefano, Puskas e Gento...
Fica um resumo alargado com o relato de Artur Agostinho, conhecido sportinguista.
E algumas uma segunda sequência de  fotografias encontradas na internet:
Conta-se que depois do final da partida, as coisas se tornaram num autêntico circo. Os portugueses invadiram o terreno (a treinar para o 25 de Abril?), despiram e levaram os jogadores em ombros, Águas desapareceu e não pôde ir receber a taça. Ângelo caiu numa vala (que separava o relvado das bancadas), levou com algumas pessoas em cima, desmaiou e teve de ser transportado para o balneário por dois polícias...

Vinte e dois golos marcados (média de cerca de 3/jogo) e onze sofridos (média de cerca de 1.5/jogo), outros tempos e outro tipo de futebol sem muita ciência. Um grande momento na história de um clube e de uma nação ainda amorfa (tal como hoje) face a um regime que se serviu deste mesmo clube para passar a sua falsa propaganda. 
Este jogo marcou a chegada de Eusébio e a partida de Guttmann... Alegrias e tristezas, a tal bittersweet symphony que é a vida.

E Pluribus UNUM

5 comentários:

  1. Nunca é tarde de mais para recordar os grandes momentos do universo benfiquista... A história e as estatisticas do real madrid sempre foram impressionantes, portanto uma vitória 5-3 é sempre algo marcante!
    Grande orgulho no meu Benfica!

    ResponderEliminar
  2. Aqui está um dos momentos que puseram definitivamente o Benfica como um dos grandes do futebol mundial .Mas tambem representa uma viragem no que diz respeito ao nosso sortilégio nas disputas e consequentes derrotas nas finais europeias que jogamos depois desta dupla conquista.Esta era uma equipa que começou a ser preparada em 1954,quando o então presidente Joaquim Ferreira Bogalho contratou Otto Glória para profissionalizar o nosso futebol.Com novos hábitos que agora são banais mas na altura representaram uma autentica revolução,o Benfica a partir dessa altura começou paulatinamente a formar a super equipa que no inicio da década de 60 deixaria a Europa de boca aberta.Quando chegou,Otto Gloria contava já com jogadores como o defesa Angelo e o cabeçinha de ouro,o grande capitão José Águas,tendo chegado á Luz nessa época o guarda-redes Costa Pereira e o Monstro Sagrádo Mário Coluna.Depois nas épocas seguintes por entre a conquista de campeonatos,taças e uma final da Taça Latina perdida em 57 para o Real Madrid, aterraram na nossa equipa,Mario João,Germano,Cruz,Cávem e José Augusto, para na epoca de 61-62 o Benfica mostrar ao mundo a classe de Eusébio e Simões.Importante foi tambem a troca de Otto Gloria por Béla Guttman,já que o austro-hungaro dotou a equipa da matreirice e da estrelinha de campeão tão indispensáveis á conquista destes 2 troféus.Não foi só a vitoria por 5-3 que impressiona,mas sim o facto de ter sido conseguida frente á grande potencia da altura que já tinha ganho 5 finais e contava com galáticos como Di Stefano(que era o idolo de Eusébio),Puskas,Gento,Del Sol ou Santamaria.

    ResponderEliminar
  3. De referir também que nessa equipa do Benfica jogavam 2 jogadores que foram um pouco ofuscados pelo brilhantismo de Eusébio,casos de Germano(um central avançado no tempo,um jogador que segundo muitos jogava bem em qualquer posição) e o Monstro Sagrádo Mário Coluna que para mim foi o grande motor e lider daquela equipa,um verdadeiro treinador dentro de campo.O que é triste é ver que ninguem se preocupa em comentar esta altura em que o Benfica reinava na Europa,tenho 37 anos e eu tambem não vivi este periodo,mas não têm que ser forçosamente os mais velhos a comentarem sobre a epoca dourada do nosso clube.

    ResponderEliminar
  4. Essa táctica é que é pura fantasia lol

    ResponderEliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo