domingo, 31 de março de 2013

Sport Lisboa e Benfica 6 Rio Ave 1

Todo o adepto Benfiquista terá fica muito satisfeito com o regresso da equipa de futebol às competições ontem à noite. Os quase 46 mil espectadores, ainda terão ficado mais satisfeitos pois assistiram ao vivo a uma demonstração de poder do Benfica face a uma equipa que já andava a espreitar o acesso à liga europa.
Os Onze de ontem à noite
Infelizmente, esta será uma vitória que vai ser etiquetada como mais um exemplo de que a arbitragem está a levar o Benfica ao colo para o título. Vai ser vista desta maneira por quem não tem olhos para ver mas sim ouvidos para ouvir o que o sistema vomita por essa imprensa fora.

É que a arbitragem de rui costa, de uma maneira ou de outra, assim pode levar as pessoas a pensar. Este árbitro da AF do porto, expulsou dois jogadores do rio ave. Também expulsou um do Benfica. Já com 2-0, ajuizou que não houve falta de Matic sobre um avançado do rio ave dentro da grande área do Benfica. Também não assinalou nada quando nivaldo marcou os pitons no corpo do Sálvio... Pessoalmente, e como tenho a mania de pensar em todas as hipóteses possíveis, o principal beneficiado com a actuação de rui costa foi nem mais nem menos que o porto! Teoria da conspiração? Talvez, mas a verdade é que o rio ave vai jogar desfalcado na próxima quarta-feira perante esse clube-já-condenado-por-corrupção. Ditam as leis que as sanções transitem deste modo.

Rui costa foi relativamente coerente. Mostrou seis cartões amarelos + um vermelho a jogadores do Benfica, e seis cartões amarelos + dois vermelhos aos jogadores do rio ave... Não há mais imparcialidade do que aquela que estes dados demonstram. O único senão do seu trabalho, foi não ter mostrado o cartão vermelho directo a nivaldo pela dita entrada ao sálvio (tal como Aimar a época passada em olhão). Penso que se o tivesse feito, teria poupado muito amarelo na segunda parte...
Esta onde vermelha que se vai agigantando
Quanto ao jogo em si, bem quase todos viram que mais uma vez o Sport Lisboa e Benfica foi tremendamente eficaz. Na primeira oportunidade real de marcar, a equipa marcou... Na segunda idem. Por isso, aos quinze minutos já a partida estava ganha. A vida de uma equipa com objectivos de vencer provas ou ganhar títulos é tentar ser o mais eficaz possível. A vida de uma equipa que luta pela manutenção é tentar não sofrer golos e aproveitar os erros do adversário. Reconheço que nos últimos anos, não tem existido muitos exemplos de eficácia e uma eficácia tão madrugadora. Mas este estilo que já sido dado a provar ao gil vicente, beira mar e paços de ferreira é um estilo de equipa de grande qualidade! que assim continue pois também é fruto de um trabalho mental.

O rio ave veio fazer pela vida à catedral. Não interessa se jogou com três centrais mais dois laterais com ordens para subir. O que interessa é que o Benfica foi muito forte na tentativa de recuperar a bola e rápido na transição para o ataque. Mas devo dizer que o rio ave acabou por fazer um bom jogo do meio campo para a frente. Os seus jogadores foram para jogo com vontade de jogar à bola e não para uma peça de teatro, lutaram até ao fim por marcar mais um golo. Aquele que marcaram foi mais do que merecido pela jogatana que fizeram.

O problema é que o Benfica não é do campeonato do rio ave. O Benfica transcende a qualidade que os de vila do conde têm. Somos melhores e ontem provámos isso com seis golos.
Os marcadores de ontem que nem águias reais
Em relação aos nossos jogadores, e antes dos elogios, quero aqui enviar um valente puxão de orelhas a Melgarejo. Em primeiro lugar penso que o paraguaio teve algumas oscilações físicas, fruto do excesso de cansaço que os jogadores mais utulizados começam a sentir por esta altura da época. Certo que se ele não tivesse jogado de início, não teríamos assistido aquela jogada em que ele facturou um belíssimo golo... Certo que se ele não tivesse jogado eu não teria de ter assistido a uma cto irreflectido e estupido da parte dele que levou a que fosse expulso... E bem! Melgarejo tem de estar mais atento, rui costa já tinha expulso dois do rio ave e ele faz uma entrada daquela já com amarelo... Bem que JJ o questionou: Mas Melga, já tinhas um amarelo... Pá, pensa... Melgarejo vai ter o seu fim-de-semana de descanso que já merece, e espero que a sua veia goleadora continue: Dois golos do lateral nos últimos dois jogos em casa é sinal de que a posição já está relativamente bem assimilada por ele e pelos seus companheiros o que lhe permite atacar com mais perigo, certo?

Quanto aos outros, todos estiveram bem. Houve umas baixas de ritmo e de atenção que o rio ave aproveitou para se acercar da nossa baliza mas a vitória estava garantida ao intervalo, pelo que o ritmo mais descomplexado da segunda se compreende: Há que poupar o máximo possível, pois esta época vai ser longa e vai exigir muito esforço e concentração.

Como podem observar, já há muitos minutos nas pernas:
Como também podem observar, já cá moram mais de cem golitos esta época em jogos oficiais, Não significada mais do que o fruto do trabalho do Sport Lisboa e Benfica! Titulos? Só quando os ganharmos...


Fica o resumo dos sete golos:

Quinta há mais noventa minutos a puxar pelo glorioso.

PS1: Umas palavras para o avançado do rio ave Bebé: Parece ser jogador para outros voos que podem ser muito bem maiores do que o actual.

PS2: Parece que com o passar do tempo de vai vendo o que a política foi encobrindo. O título não é meu mas sim do próprio jornal: "BPN dá 9,7 milhões a arguido do Apito"... Somos todos nós a pagar pelas frutas de outrora e as que podem ainda vir? Vale mesmo a pena ser criminoso delinquente em Portugal...

PS3: O sporting tem novo presidente. Vamos aguardar pelo que ele vai fazer com todos aqueles hábitos pendurados por toda a parte no estádio do clube.

E Pluribus UNUM

sexta-feira, 29 de março de 2013

Sobre Peixes e Coelhos

Tenho tentado aproveitar ao máximo esta paragem nas competições de futebol profissional para desanuviar a cabeça e de certo modo preparar-me para o que quer que esteja para vir. Uma espécie de férias nesta guerra civil na qual o país está bem metido. No entanto, lendo umas coisas aqui e ali, não é fácil manter o distanciamento... Não é mesmo fácil com tanto peixe que se anda a vender ao desbarato...
Começou entre o presidente do porto e o seu, diz-se, futuro empregado, por causa da selecção! Furo empregado! Diz-se ou dizia-se por que agora ficou muito confuso certo?

Ainda ninguém conseguiu provar que isto não é mais do que poeira atirada aos olhos das pessoas só para tapar outros ângulos de visão. Pode não ser... Mas...

Digo que acredito que pode ser poeira, porque se estivesse à procura de treinador iria testar o meu principal candidato. Iria querer ter a certeza de que ele não se verga por dá cá aquela palha... ou peixe. Daí termos vindo a assistir de há alguns meses para cá, a esta troca de galhardetes amorosos entre estes donos de banca. Cada qual vende o seu. Uns dias corre melhor a uns do que a outros. Tudo por causa de um peixe miúdo que já foi confundido com cebolas...
Será que o peixe sabe nadar Yo!
A selecção de Portugal... Há muito a dizer? Há, mas é coisa meio negativa pelo que não vale a pena pois a selecção necessita de coisas positivas.

Outra peixeirada que tem entupido os nossos ouvidos, vem das mais altas esferas do dirigismo do futebol português... O gomes e o figueiredo que sempre tiveram a sua pequena banca lá no canto do mercado, viram-se de repente com novas e luxuosas bancas. Claro que cada um defende a sua, pois a que cheirar menos mal... tende a vender mais. 
Figueiredo queixa-se de que lhe estão a estragar (1: e até tem razão) e a tentar roubar o pouco peixe que já tem (2: Volta a ter razão; 3: e não é que o gajo tem mais uma vez razão!). Gomes retalia que lhe pode fechar a banca... Figueiredo tem aviado umas postas com muito fervor, parece estar a ser idóneo. Ele passa uma imagem de verticalidade que face aos factos que transmite, lhe parecem conferir uma imagem de honestidade numa luta contra o imperialismo do sistema... Será?

Com a época a chegar ao fim, veremos o que irá acontecer com a pretensa intenção de colocar um clube que foi gerido com corrupção e condenado pela mesma. O que está reservado para aquela banca de peixe quando a tutela só quer comer do bom e do melhor. Veremos se a Benfica Tv sempre vai ficar com os tais quinze grandes peixes por época. veremos...
Outro que não se pode dar ao luxo de ficar sem vender o seu peixe, é o bitó. Ele anda a ficar com a banca e os bolsos vazios...
E não está a ver bem como dar vazão ao que ainda tem para amanhar. Daí que atire o melhor que ainda tem para a frente. Já não apela á banca da fruta como fez o ano passado, pelo que parece que não estará à espera dos subsídios do sistema... Será? Se assim for, parece que será melhor pensar em estudar esta estratégia antes de ir a este local em vez de ir a fátima... A ver vamos pois o patrão já o culpou pelos quatro pontos que aquela banca tem de atraso... Atirar a Culpa para os penaltis falhados, é o mesmo que criticar de forma arrasadora quem os falha e quem autorizou o jogador a marcar...

Outro peixeiro houve que se cansou de estar calado, e decidiu ir à luta que a vida está a ficar muito cara.
Vai daí que preparou cuidadosamente esta posta de peixe. Não tenho bem a certeza que tipo de peixe ele estava a falar, é um enigma que não é fácil de decifrar. Ele avia que os seus peixes estão prontos para a faina que ainda falta fazer! Mas que tipo de faina, perguntam os clientes... Não tenho bem a certeza.

O que sei é que o melhor representante de uma espécie que deveria estar em vias de extinção, mas parece ainda estar em vias de expansão, o peixe-ratazana, apareceu numa das mais afamadas bancas de peixe lá de cima...
Ele que tinha andado por águas muito profundas nos últimos tempos, decidiu após os constantes apelos do seu dono (que deve ser algum dos acima fotografados), vir à tona para ser vendido à banca do costume... Ele que é um peixe do melhor que há. Pena que as suas barbatanas tenham defeito (muita brilhantina) e nadem sempre para o mesmo lado.

Já o nosso timoneiro prefere a boa carne a todo o peixe que rodeia a sua nau.
E está pronto para a usar em todo o seu esplendor... JJ, tem cuidado com as brasas em excesso. Sabes que por vezes o vento sopra e as brasas ficam muito inflamadas o que acaba por esturricar a carne toda...

Também já cá andas há tempo suficiente para saber que, em Portugal, os peixeiros têm conseguido vender muito peixe estragado depois de te terem conseguido queimar a carne. Presta atenção às brasas pois tens andado distraído nos anos anteriores. Aliás o teu patrão também tem de abrir os olhos porque os clientes andam cá com uma fome e estão mais do que atentos.

De qualquer modo, e voltando à realidade, o jogo académica-porto vai ser mais uma palhaçada. É que está a chover que se farta, e se o jogo se realizar é só mais uma razão para investigar o porquê de o outro (na peixaria de setúbal), não se ter realizado. Se tal não acontecer, é só mais uma acha para a fogueira que deveria esturricar o sistema mas parece que só lhe dá mais frescura... Peixe fresquinho como a fruta acabada de colher, penso eu de que.

Quanto à partida na Catedral, teremos o rio-ave treinado por um ex funcinário da peixaria da madalena, num jogo que será dirigido por aquele árbitro que tem nome de maestro e é oriundo dos mesmos lados que a dita peixaria

E pronto, está lançada mais uma jornada deste campeonato. Péssima altura para o Sport Lisboa e Benfica, porque JJ joga com carne, carne que não deve ser consumida nesta época festiva que é a páscoa... Esperem aí! Afinal isto de não comer carne é só no dia de hoje, Sexta-Feira da Paixão. Ainda melhor assim.

Falta falar do coelho que está no título... Que seja a melhor Páscoa possível para todos os leitores deste blogue. Até Domingo e:

E Pluribus UNUM

sábado, 23 de março de 2013

Jogos Imortais: Sport Lisboa e Benfica 5 Boavista 2

Foi um jogo inesquecível. O Sport Lisboa e Benfica jogou com uma equipa inesquecível. Num estádio que querem que seja esquecido. Tudo torna a partida em algo que vale a pena relembrar sempre que a memória o quiser.
Os principais quinze artífices de uma brilhante vitória
Era o final de uma época confusa no futebol Português. Confusa porque uma equipa de imperadores do futebol, não tinha conseguido ser campeã.

Como podem recordar neste post, a qualidade e quantidade eram vastas no plantel construído por Jorge de Brito.
Foi uma grande primeira parte do Benfica que somente ficou beliscada por uma desconcentração de Mozer. Até aí o Benfica fez um jogo tipo relógio, passes certos entre jogadores em constante rotação. Aliás, a jogada do primeiro golo é disso exemplo:
No segundo golo, é Futre quem desmancha o lado direito da defesa do Boavista e centra para a cabeça de João Pinto aumentar a vantagem.

Na segunda parte, e muito por culpa do golo sofrido, Toni terá alertado os jogadores para não se meterem em aventuras. Para jogarem no erro do adversário, mantendo um bloco muito sólido a meio-campo. Estarem atentos nas compensações e serem certeiros e rápidos a endossar a bola.

Vitor Paneira já tinha passado a primeira parte a compensar Paulo Sousa ou Rui costa quando os dois compensavam as subidas de Futre. Na segunda parte fez mais do mesmo. Rui águas também recuava bastante para compensar as subidas de Rui Costa e as não descidas de João Pinto. Num recuo desses, Águas, com rapidez e precisão, endossou a bola a Futre que com uma arrancada super-sónica chegou à grande área adversária e fez explodir uma bomba no fundo das redes adversárias.
Festejos após o segundo golo
No banco também se festejava
O Benfica ainda deixou que o boavista reagisse mais uma vez, numa daquelas jogadas que iria provocar muitos calafrios na época seguinte. No entanto a equipa estava forte e não ficou abalada. Acabou por aproveitar que Futre era mais esperto que a defesa axadrezada e voltou a ter dois golos de diferença para no final Rui Águas molhar a sopa após uma bomba de Schwarz.

Um grande jogo de uma equipa de artistas que conseguiu impor o seu valor sem constrangimentos. Talvez por estarem a jogar fora de ambientes menos respiráveis, talvez por o árbitro ser quem era. O que interessa é que o Sport Lisboa e Benfica deu um espectáculo de táctica e arte de um nível altíssimo.
Até o presidente soares quebrou o protocolo e desceu à relva para cheirar os astros vestido de encarnado, outros tempos...
Algumas fotografias acima apresentadas, são da autoria do foto-jornalista ou jornalista fotografo Fernando Correia. Outras foram encontradas por aí e editadas por mim próprio.

Eram tempos diferentes. Eu até comprava o jornal A Bola. Leiam um bom pedaço de jornalismo que ainda não desapareceu. Apenas anda muito escondido, penso eu de que, tal como esta edição do dito jornal que encontrei no tal baú que muito tem para contar.
Crime foi o que se passou no campeonato...
Toni estava enganado quando afirmou que "A transparência não faz mal a ninguém". Pelos visto sempre fez, faz e irá fazer caro Toni... Até ao dia em que a lei não tenha medo das transparências.
Cruz dos santos, outro que já perdeu um pouco da vergonha
Um crime esconder este Benfica... Enfim, crime foi o que se passou noutros campos. À 31ª jornada, a 16 de Maio, foi escolhido carlos calheiros (para relembrar sobre quem foi este personagem, cliquem aqui) para arbitrar o beira-mar Sport Lisboa e Benfica. Aos 61 minutos, Yuran foi expulso; Aos 86 o beira-mar adiantou-se no marcador para aos 90 minutos Pacheco receber também a ordem de expulsão...

Nesse mesmo estádio, a 30 de Maio, o porto venceu por 1-0. Jogo que viria a ficar conhecido por ter tido o braço activo do polvo corrupto. Através de uma rede de influências e interdependências, que estavam a ser erigidas acerca de uma década, o guarda-redes do beira-mar (acácio) confessou que recebera pressões e propostas diversas para facilitar uma vitória do porto. Nesse mesmo jogo, o jornalista Carlos Pinhão foi selvaticamente agredido por elementos da guarda pretoriana do porto...

Ainda a 30 de Maio, O Sport Lisboa e Benfica defrontou o estoril numa partida apitada por outro artista que muito ganhou com os favores que prestou ao polvo: pinto correia. Defrontou o estoril em Coimbra! O resultado final foi um empate a zero e ficou consumada a reviravolta de posições no topo da tabela.

Assim se pode explicar melhor ou mesmo responder ao jornalista d'a bola, que tinha questionado na peça acima fotografada: "Não sabemos de quem foi a culpa, mas uma coisa sabemos nós... Foi um crime esconder este Benfica!" Ó serpa, tu sabias... Já não tinhas era muito estofo nem um pingo de coragem. Agora penso que já nem um pingo de vergonha tens...

Mas voltemos ao jogo em questão, ficam imagens de vídeo com mais qualidade das que andam por aí. Sempre considerei o golo inaugural de Vitor Paneira como uma das melhores jogadas de futebol de sempre.

Os golos do boavista não estão contemplados neste vídeo por mim editado. Foram duas pequenas manchas na actuação do Sport Lisboa e Benfica, por isso...
Gosto particularmente daquele sorriso de Jorge de Brito no fim do resumo do jogo. É um perfeito "Tomem lá disto meus bandidos corruptos, pensavam que íamos de mãos vazias?"...

Este jogo marcou o virar da página na vida do Sport Lisboa e Benfica. Na dita edição do jornal A Bola, também surgiram as primeira ondas do que viria a ser conhecido como o verão quente do Sport Lisboa e Benfica: As saídas de Pacheco e Sousa.
Mesmo Futre, no final da partida, atirava ao éter alguma frustração com o que se estava a passar no interior.
Sim, a contratação de Futre tinha hipotecado alguns anos de transmissões televisivas. O próprio salário de Futre também não devia ser pequeno, pelo que alguns se aproveitaram para dar de frosques. Ficaram os que sabiam onde estavam, salvou-se o que se pôde.

Outros jornalistas iam pedindo desculpa e O Capitão lá apontava o dedo para algo que hoje já é uma realidade amadurecida.
Águas sujas em que navega o futebol Português...
Ó eládio, muitos icebergs mesmo... Que ainda não derreteram passados estes anos todos! Quanto ao jakim das ritas... Enfim, ter escrito em 1993 que "edifício de corrupção que, impunemente, se está construindo em Portugal", e continuar a portar-se muitas vezes como um amestrado... Mas na mesma edição deste jornal, encontrava-se resposta à dita pergunta do não sabemos de quem foi a culpa...
Poder de penetração da tv... Grande Wilson.
Mário Wilson já adivinhava como o dito poder de quem controla quem transmite as imagens, iria estragar o futebol cá em Portugal... Clarividência de alguém que, três anos mais tarde, viria em socorro do Sport Lisboa e Benfica para conquistar mais uma taça...

Para terminar num tom mais alegre, este jornal ainda me deliciou com este momento humorístico. Já nessa altura se inventava à brava...
Nosso, este foi nosso com muito orgulho.
Mas brincam com estas coisas? Preud'Homme não consegue dormir descansado à espera que lhe apareça um sportinguista e já sonha verde?

Foi um Verão muito quente, mas devido ao Benfiquismo de uns poucos Benfiquistas, a época seguinte ainda foi uma época à Benfica. O pior ainda estava para chegar...

E Pluribus Unum

segunda-feira, 18 de março de 2013

Guimarães 0 Sport Lisboa e Benfica 4

E acabou por uma época a maldição da cidade berço. Ontem à noite numa clara demonstração de força, e contra uma equipa com ambição, o Benfica amealhou mais 3 pontos preciosos na corrida para a reconquista do título de campeão nacional.
Mais uma batalha vencida
Era um jogo decisivo, pois aquando do começo já os adeptos sabiam que o porto tinha largado lastro na madeira. Acrescentar mais dois pontos à vantagem, era então algo de extremamente importante para salvaguardar o que resta do percurso até à jornada trinta, de modo a precaver eventuais deslizes que acontecem a todas as equipas que lutam com honestidade para serem campeãs.

E o Benfica entrou com força e vontade para marcar o mais rápido possível, mas tal não foi conseguido. O vitória safou-se disso nos primeiros minutos e equilibrou o jogo devido à irreverência e força de um grupo de miúdos que quer ser algo no mundo do futebol. Jogou em linha com a defesa muito subida e arriscou deixar os seus quatro defesas num um-contra-um defensivo face a Sálvio, Gaitan, Cardozo e Lima.

A estratégia de rui vitória, resultou durante o tempo em que a concentração dos seus jogadores aguentou a força de ataque do Benfica, e o facto de esse planeamento de ataque não ter descodificado a melhor maneira de penetrar por aquela linha ténue... Ou acertar agulhas de modo a desmanchar a dita estratégia. O Vitória estava pujante, jogando com todas as baterias, acercava-se da área do Benfica mas não conseguia aquela oportunidade. Teve um livre aos seis minutos que mostrou que Artur estava atenta, mas uma como aquela que teve Jardel aos dezasseis minutos...
Quase Jardel... Quase!
Parecia que a coisa estava a ser difícil, houve até uns dois ou três fora-de-jogo mal assinalados. Mas era nesta tecla que o ataque do Benfica deveria apostar. A ratice torna-se um posto e a juventude algo a explorar pela mesma. Quer Sálvio quer Gaitan tinham liberdade para irem ao meio campo criar desiquilibrios de modo a levar os laterais vitorianos para longe dos seus flancos. Depois era ser mais rápido no passe. Foi o que fez Gaitan aos trinta e cinco minutos. Lima correu como ele sabe, contornou o guarda-redes do vitória e pimba, já eu estava a levantar-me para festejar o golo quando o defesa do guimarães derruba o brasileiro.

Bolas, de penalti não é bem a mesma coisa pensei eu para com os meus botões. Contra dez também não. nem uma coisa nem outra. da segunda escreverei mais adiante. Da primeira, a equipa tratou do assunto na segunda parte.
Anatomia de uma falta para penalti e a respectiva marcação
O árbitro assinalou o respectivo castigo que Cardozo se encarregou de marcar. Até ao final da primeira parte tudo arrefeceu com o Benfica sempre à espreita de uma brecha para avançar mais no marcador. Nada mais aconteceu, no entanto foi ao intervalo que JJ terá arquitectado o golpe fatal.

O treinador do Benfica, ordenou a Lima que flanqueasse jogo no lado esquerdo do ataque. Kanu tinha amarelo e já não poderia entrar em aventuras. Lima era gajo para levar um dos centrais para a essa faixa. Gaitan assumiu as despesas de médio interior deixando o meio campo do vitória num dois contra três. Com esta alteração, Melgarejo começou a ter espaço para avançar, uma vez que na sobra do meio campo, ou Matic ou Perez (que pulmão) poderiam fechar o seu flanco.

E eis que numa dessas subidas aos cinquenta e nove minutos, Melga saca o segundo amarelo a kanu e logo de seguida Garay, numa excelente execução dilata a vantagem do Benfica no marcador.
Anatomia de uma excelente execução. Há centrais que também são artistas
E o jogo ficou arrumado naquele preciso momento. Até ao final, o Benfica jogou em compasso com a máxima precisão. Este é um exercício de superioridade,  a equipa tem a oportunidade de poupar energias, estruturar processos simples como o banal passe-e-corte e, muito importante, cansar o adversário fazendo-o correr atrás da bola.

Foram aplicados cerca de vinte minutos desta fórmula de amansar e desgastar aos valentes jogadores do vitória, que acabaram mais uma vez por perder fulgor e por levar mais dois golos aos 83 minutos (por Sálvio) e aos 95 minutos (por Rodrigo).
Anatomia de mais um golo
Poder-se-a pensar em injustiça face ao empenho e abnegação do guimarães. Lembro-me eu de que na época de 2010 2011, houve penaltis sobre Aimar e Carlos Martins que não foram assinalados, que um golo limpo de Cardozo foi anulado e que Saviola sai bem detrás da defesa do vitória e o fiscal assinala fora de jogo. Quatro lances ilegalmente cortados por um tal de benquerença que correspondem aos quatro golos do Benfica! É capaz de não ter nada a ver uma coisa com a outra? É capaz.

No final das contas, o Benfica mostrou força de punho bem cerrado. Foi um jogo de combate face a um adversário que anda a rondar um dos bilhetes para o acesso à liga europa. Não foi um jogo do gato e do rato, tipo contra a académica. Houve fases de grande equilíbrio, o guimarães poderia ter marcado aos 78 minutos mas o Benfica provou no relvado que é melhor em tudo, e ganhou com todo o mérito os três pontos.
A Águia num voo de ascenção?
O árbitro paulo baptista, por falar em bilhetes foi o tal que apitou o académica-sporting na final da taça de Portugal da época passada. Ele ganhou esse bilhete na vitória do porto no funchal (relembrem esse jogo aqui). Era com natural desconfiança que encarava a sua nomeação para a partida da ontem.

No entanto o trabalho da equipa de baptista esteve desequilibradamente equilibrado. Assinalou e bem a grande penalidade. Terá compensado a não expulsão de el adoua (no lance do penalti) com a expulsão de kanu. Os fiscais assinalaram mal três foras de jogo o ataque do Benfica e terão deixado passar Sálvio rumo ao terceiro golo, quando me deu a sensação que o argentino estava um tudo nada adiantado. Vicissitudes de jogar no risco, digo eu com os nervos.

Rui Vitória, que eu tenha lido, nem protestou com a equipa de arbitragem. Não tinha factos para o fazer, queixou-se sim dos acontecimentos. O que é de enaltecer.

JJ afirmou e bem, que não há margem de manobra nenhuma. Todo o poderio que o Benfica possui, tem de estar aliado à humildade e ao respeitar todos os adversários que restam. Só assim os alicerces se tornam cada vez mais sólidos e as alegrias maiores. NADA ESTÁ GANHO!

Mal JJ ao afirmar que "A partir de agora, vamos pôr a carne toda no assador". Bem, na minha opinião, o Sport Lisboa e Benfica tem plantel para fazer uma excelente prestação nas provas em que está a competir. Espero que JJ tenha proferido esta afirmação com base numa estratégia de rotatividade compensada, coisa que nunca fez nas três épocas passadas... Com os resultados visíveis... Penso que deveria ter permanecido calado até chegar às meias-finais, ou seja manter o discurso que até agora era a sua bandeira.

Já quando afirma que "Há uns que conseguem pôr as pecinhas pequeninas a parecerem peças grandes e por isso pode parecer um Ferrari", fico estarrecido. Que quererá ter dito JJ? Para mim, estudante de letras, é me complicado chegar a uma conclusão no que respeita ao sujeito embutido na palavra "uns"?

Fica o resumo

PS1: Há uma linha muito ténue entre a perfeita loucura e a realidade quando se escreve ou se fala do porto. Se a meio da semana o chefe de quadrilha foi ao treino, de modo a aquecer os ânimos dos jogadores, desta feita foram os adeptos que foram de encontro aos jogadores. Será uma loucura teorizar que terá sido o dito chefe da quadrilha a autorizar tal acto, uma vez que a sua ida ao treino não tinha surtido efeito? Fica ao vosso critério caros leitores.

Já o treinador bitó teve de se socorrer de pedidos de desculpa, parece que acabou uma semana em o porto só ganhou um jogo da secretaria, e isto porque se conseguiu tornear os regulamentos. Tendo como base os últimos trinta anos, até é normal que isso aconteça... Jogos ganhos na secretaria, ou por causa de erros técnicos, ou por falta de visão dos árbitros, ou por serem previamente encomendados; São já uma forma normal deste clube já condenado por corrupção ganhar. Ou a lei abre os olhos ou até começa a ser uma coisa legal...

Bitó acredita que ainda é possivel. E é verdade, face ao número de jogos que ainda faltam. Pena que este crente de fátima baseie a sua crença no que se passou a época passada, onde a dita recuperação se deveu ás prestações de xistra, proença, benquerença, capela, hugo miguel - quais cavaleiros do apocalipse - nos jogos do Benfica.

Parece, no entanto, que há qualquer coisa de diferente na arbitragem esta época. Parece! Facto é que ainda falta aparecer benquerença nos jogos do nosso clube. também vai ser difícil não voltar a encontrar proença. mas é como já escrevi: Há qualquer coisa diferente na arbitragem. Essa coisa teria feito com que não fôssemos prejudicados de maneira a perder os títulos de 2010-2011 e de 2011-2012.

E Pluribus UNUM

sexta-feira, 15 de março de 2013

Bordéus 2 Sport Lisboa e Benfica 3

Primeira parte de permanente sobressalto face à aparente falta de frescura física que alguns jogadores do Benfica. No entanto foi também um jogo de tremenda concentração mental, onde toda a equipa tentou da melhor maneira cortar todas as possíveis linhas de passe à equipa francesa. 
O onze bordelais
De salientar ainda a batalha de apoio das claques que se degladiaram a cada corte e a cada jogada de ataque das respectivas equipas.

Então, já é notória a falta de frescura física que alguns jogadores do Benfica ostentam! Não é aparente, mas sim real. Melgarejo e John, os mais novos por sinal, não estão em condições físicas para embarcarem em grandes aventuras. No entanto a coesão da equipa ajudou a camuflar tal cenário, uma vez que o cansaço tolda a clarividência no simples acto de fazer um passe simples ou um corte fácil. 
Jardel comemora o golo e o rebento
O Benfica terá apanhado um susto após a marcação de um canto, mas cedo impôs o ritmo que mais lhe convinha: Defendeu muito à zona, e o facto de Gaitan e Perez terem força para atacar e defender, fechou muitas portas aos franceses. Assim que o jogo estabilizou, o Benfica ensaiou o seu ataque de forma emparelhada. Recusou o passe em profundidade em demasia e avançou uns metros e recuou outro; Ataque apoiado que valeu uma oportunidade de ouro a Sálvio. Não entrou dessa vez, entrou no seguimento de um pontapé de canto: Jardel estava atrás do guarda-redes francês mas não deu o lance como finito e lançou-se à jogada e fez golo. Parabéns pelo rebento e pelo golo.

Já a segunda parte não-lhe correu assim tão bem! Isto de baixar o ritmo de jogo tem de ser muito bem treinado. Deve-se baixar o dito ritmo ao adversário e não deixar que isso quebre a velocidade de pensar e de executar aos próprios jogadores da equipa que executa a referida baixa. Volto a adicionar a falta de frescura física e a coisa pode virar o feitiço contra o feiticeiro... E tal começou a acontecer.

Não fosse a entrada do um mais fresco Cardozo e o jogo seria uma incerteza até ao fim, isto após o primeiro golo dos franceses. O paraguaio, que me continua a irritar vastas vezes, destruiu completamente os franceses: Primeiro a finalizar uma assistência mágica de Gaitan, depois e de um modo cínico a agradecer a assistência de um dos centrais do bordéus. Em ambos os casos, Cardozo facturou de forma tecnicamente brilhante. O segundo é o meu preferido porque pregou o guarda redes ao relvado com um movimento de tronco e quando o mesmo se estava a preparar para esboçar um qualquer tipo de defesa, já a bola estava a passar a linha de golo.
Cardozo, qual águia real, após aviar duas bicadas
Cardozo é mesmo um caso à parte, ele desespera por vezes desespera os adeptos e ele resolve partidas. É das poucas alterações de JJ que resulta ou estou enganado?

Vou ser o mais sincero possível. Não compreendo a utilização de John (que jogou bem dentro do que o corpo lhe permitiu), de Melgarejo (porque não ter utilizado Luisinho no fim-de-semana frente ao Gil) e de Perez (que fez um jogão e bem merecia aquele golo quase no final da partida). Já agora, Urreta esteve on fire no fim-de-semana. O que se passa com André Gomes? Sendo o campeonato uma prioridade... Carlos Martins deveria ter jogado mais tempo, certo? Mantendo a sinceridade, até gostei da dupla Jardel-Roderick, fizeram os possíveis para travar os avanços dos franceses e estiveram mais vezes melhor do que mal...
Foi uma águia a voar mais baixo mas sempre incisiva no seu objectivo
Foi uma boa jogatana num campo difícil onde o Benfica, a jogar a meio-gás, foi quase sempre superior e teve cabeça fria para manietar tendências. Houve umas tremideiras a defender mas o bordéus tremeu muito mais. Essa foi a grande vitória do nosso clube: Sem grande esforço, com muita contenção e concentração passar á próxima ronda frente a um adversário que se deve ter julgado capaz de ganhar, após ter escutado os adeptos do Benfica assobiarem a própria equipa na catedral, mas que afinal não o era de modo algum. Tipo um galinheiro que cacareja que se farta mas não põe ovos, enquanto o Benfica voou baixinho sem alaridos, sem vaidades ou outro tipo de espectáculo circense e aviou quatro bicadas.

Passámos aos quartos-de-final, e agora temos adversários de mais peso que não têm mais nada para fazer do que tentar ganhar a liga europa. Face ao facto de o porto ter sido varrido/escorraçado da champions e ao facto de ainda não saber se joga a taça da liga, prevejo que as coisas vão ficar difíceis de agora em diante nas provas nacionais.

Sem palavras para o amor da massa adepta para com a mística que o clube incute nos seus seguidores...
É ter na alma a tal chama que é mesmo imensa
Fica o vídeo da partida que os franceses não se vão esquecer. Dois jogos, duas derrotas...

Passámos aos quartos-de-final, e agora temos adversários de mais peso que não têm mais nada para fazer esta época do que tentar ganhar a liga europa. Face ao facto de o porto ter sido varrido/escorraçado da champions e ao facto de ainda não saber se joga a taça da liga, prevejo que as coisas vão ficar difíceis de agora em diante nas provas nacionais.

O porto será sempre um caso de escárnio. Muito do que conquistaram nos últimos trinta anos está associado à mentira, ao engano e à fuga fácil.

Começo pela face mais conhecido dos adeptos, que mais não são do que uns delinquentes que nada fazem mas muito aparentam ter. Sigo caminho para os jogadores que aparentam estar numa forma física espantosa mas depois desaparecem do mapa com lesões e até se atrasam no controlo antidoping (será que o problema foi com a gabardine?). Ainda ao nível dos jogadores, as coisa parecem começar a estarem desalinhadas: Quem supostamente manda diz uma coisa, outros já dizem outra.

Por fim temos os disparates vindos de quem não sabe o que anda a fazer neste desporto, mas conta que as coisas se resolvam como que por magia:
...
Enfim... Mas a coisa ainda fica mais divertida com bitó adjunto a lançar mais gafanhotos, de modo a tapar o sol com a peneira:

"Nós fomos muito condicionados pela arbitragem, em termos de amarelos. Muito cedo já tínhamos meia equipa amarelada". Muito cedo? 17m, 24m, 30m... Três amarelos dá para meia equipa seu burro? Jogas só com seis jogadores?

"Não nos foi permitido sermos agressivos como gostamos de ser. De qualquer das formas não foi por aí". Claro que um árbitro estrangeiro não tem a educação que foi ministrada a muitas que apitam em Portugal. Cá gostam de despachar traulitadas a avulso, mas lá fora não é assim. Ainda por cima depois de se queixar e chorar por causa da tal agressividade não permitida... Diz que não foi por aí que foi eliminado... Vá-se lá entender uma pessoa que só faz o que lhe mandam (sabes com quem vais jogar agora?) e que quando o deixam fazer algo pela cabeça dele, durante noventa minutos, sem árbitros portugueses...

Entendo é que aquilo que se passou após o man city os ter eliminado da liga europa por 6-1 a época passada, vai ser muito bem armado de modo a acontecer de novo. Depende se os árbitros querem ou não continuar com a palhaçada de se portarem como serviçais de modo a serem premiados.

Este ano o Sport Lisboa e Benfica tem sido uma equipa equilibrada e sempre mais forte que a maioria dos seus adversários. Com maior ou menor dificuldade tem sido a equipa que perdeu menos pontos e, de forma clarividente, ninguém tem duvidas de que isso se deve à qualidade do seu plantel e equipa técnica e não aos árbitros. No entanto, JJ deve estudar bem o que falta jogar esta época e dosear o esforço dos jogadores mais importantes. Não pode cometer os erros das últimas temporadas!

Sei que o espectáculo pode não sair beneficiado. Sei que o Sport Lisboa e Benfica pode não ganhar sempre por cinco-zero, mas o mais importante é sagrar-se campeão nacional que é algo que já merecemos há três anos consecutivos mas que tem vindo a ser sonegado sistematicamente pelos tentáculos hábeis de quem vocês sabem bem.

PS1: Aqueles assobios da quinta-feira da semana passada... 4-2! Duas vitórias!

PS2: Venha o próximo adversário na liga europa, o Newcastle e o guimarães que se faz tarde. Já agora espero que o marítimo aproveite.

E Pluribus UNUM

segunda-feira, 11 de março de 2013

Sport Lisboa e Benfica 5 Gil Vicente 0

Viva a eficácia que na noite de ontem resolveu uma partida que até se antevia de difícil para o Benfica. A eficácia dos jogadores do Benfica e a intenção do gil vicente em não armar um autocarro à frente da sua baliza... É a vida.
Os onze iniciais de ontem
Nem toda a gente tem accesso à blogosfera, por isso a esmagadora maioria dos Benfiquistas andava satisfeita porque a equipa com maior ou menor dificuldade tem ganho as partidas. Tinha sido eliminada da taça da liga mas tal deveu-se à loteria das grandes penalidades. Mesmo nesse jogo, a maior parte dos Benfiquistas não se esqueceu que o objectivo é o campeonato, que quim defendeu penaltis muito à frente da linha de golo e que o árbitro se acobardou ao não assinalar pelo menos duas grandes penalidades no decorrer da partida.

Mas na blogosfera, que dá acesso a quem lá vai de ler opiniões, houve quem demonstrasse a sua insatisfação. Parece a diferença no marcador relata fielmente a superioridade de uma equipa. A partida de ontem, desmente de forma pragmática essa tese.

Ontem, o Benfica fez uma partida que em termos de qualidade não difere de outras que já efectuou este ano civil. Conseguiu abrir o marcador bastante cedo e armou a cilada habitual ao seu adversário: Venham cá abaixo que a malta está à vossa espera.
O primeiro
A diferença entre o gil, a académica e o beira mar está patente nos homens que treinam as respectivas equipas: a académica colocou um autocarro porque pedro emanuel era defesa; O beira-mar de Costinha, que era médio, fez mais jogo a meio campo (um bom jogo); O gil de paulo alves tentou atacar sem grandes receios, alves era avançado. Ontem o gil movimentou-se bem a atacar mas não resguardou os flancos. Quis-se elevar mas não há muitas equipa que possam ombrear com o Benfica em Portugal. Pagou caro e foi para barcelos com cinco golos na bagagem.

5-0! Que coisa fantástica uma goleada! Sublime? Claro que não. Certo que os primeiros três remates à baliza do gil resultaram em golo, mas o gil também teve as suas hipótese que Artur lá defendeu. O Gil aproveitou o relativo cansaço que já transborda das pernas dos jogadores do Benfica e tentou a sua sorte. Claro que ao intervalo paulo alves estava furioso, talvez devesse estar furioso também consigo próprio. Contra o seu clube, abriu portas para receber os convidados, contra o Benfica abriu portas porque queria sair à caça da águia...

A primeira parte terá deixado os adeptos relativamente apanhados de surpresa. E acabou por calar que se estava a preparar para mais uma assobiadela. Infelizmente não amputou quem se deleita a enviar petardos. Na segunda parte, já se sabia que o ritmo iria ser mais baixo e que o Benfica somente iria querer que o tempo passasse. Infelizmente a segunda parte ficou cheia de actos displicentes, de uma conduta com excesso de sobranceria que me irritou: Passes, mas muitos passes falhados incursões num um-contra-um em áreas proibidas. Coisas que o ritmo lento, o cansaço, a certeza na vitória e o excesso de confiança por vezes fazem acontecer.
O segundo
O problema é que o Benfica da primeira parte já tinha destruído o gil vicente e por entre os tais excessos da segunda, lá foi aguardando que o gil se desgastasse ainda mais. Depois desferiu mais duas bicadas a meio e no final da segunda parte. 5-0, e toda a malta satisfeita e pronta para mais uma semana de labuta. Toda a malta, os que lá estão sempre com alegria e outros que querem sempre um pouco mais. Para estes que querem mais, o Benfica não lhes deu mais em quantidade ou qualidade! Deu-lhes em eficácia, porque quase dá a sensação que fomos cinco vezes à baliza deles e por cinco vezes marcámos golos.

Há uma altura da época em que ganhar por um ou por cinco golos redunda quase na mesma coisa: três pontos. Queríamos mais quando o resultado fica em 1-0? Claro que TODOS queríamos mais, até os jogadores. Mas nem sempre é possível que tal aconteça! O que é possível de acontecer é ter toda a massa adepta a puxar pela equipa, mas por vezes é mais fácil morder a mão que nos alimenta.
O terceiro
Fico atónito quando vejo pessoas que moram sozinhas... Levantam-se de manhã e quando chegam à noite a casa, querem que a sua cama esteja feita. Parece que a letra da canção de Piçarra deveria ser: Ser Benfiquista é ir tendo na alma a chama imensa. Por vezes há quem consuma a chama em noventa minutos, quando ela deve durar para toda a existência de um Benfiquista.

É melhor ganhar por cinco do que por um! É. No final, se a malta for para a rua festejar, as vitórias por um terão tido o mesmo valor das de cinco. essa é que é essa. Mas claro que gosto de ver escrito 5-0

Eu que nem sou a pessoa ideal para passar uma carta de recomendação a JJ, estou moderadamente satisfeito com o que ele tem vindo a fazer. Estou também admirado com o facto de que quando ele fez aquele peeling facial (no início de época), o cirurgião ter porventura estimulado alguns dos neurónios que estão por debaixo daquela farta cabeleira.

Eu escrevi moderadamente satisfeito porque o panorama da frescura de pernas do plantel é o seguinte:
O AMC perdeu o amor ao tempo e foi desbravar estatísticas
Temos, sem contar com Artur, nove jogadores com mais de dois mil minutos nas pernas. Cinco com mais de mil e depois jogadores como Aimar e Martins, entre outros, com meio milhar. Ou seja, começa a criar-se um poço entre jogadores do plantel que JJ terá de resolver de imediato. Essa resolução não passa por perder alguma prova das duas em que estamos a competir actualmente (sim porque a taça de Portugal está distante). Se Witsel, Nolito, César e Garcia já não moram cá; Miguel Vítor, Kardec e Sidney são cartas fora do baralho... Fico com a esperança de que Urreta (que foi aquecer os motores na equipa B e marcou dois golos), Roderick, André Gomes e Luísinho possam provar em campo o seu valor e que Martins e Aimar não se lesionem mais.

Os onze jogadores que têm entrado de início tem conseguido manter o nível exibicional. Por vezes a qualidade consegue expressar-se mais em qualidade do que em outras. É a vida. Vida de adepto que vai ter já quinta-feira mais uma sessão de apoio total à equipa que vai a frança, Espero mais do mesmo mas de modo mais aprimorado

Fica o resumo:
PS1: Toda a felicidade e uma vida de saúde para ti Fábio. Que tenhas vida.
PS2: Duarte gomes fechou os olhos a um penalti sobre o Lima, mas os seus auxiliares assinalaram mal dois foras-de-jogo ao ataque do gil. A balança lá se equilibra. É a vida.

PS3: Aimar... Esteve 21 minutos em campo (nona presença no campeonato). Passou vinte minutos a passear, por vezes alheado do jogo. Confesso que me irritou. Admito que se terá ouvido no silêncio da sala um daqueles berros (atenção que não foram assobios) à treinador de bancada/sofá: "Porra Pablo! Toca a mexer as pernas Hombre!". Depois pablito, que nem uma raposa, roubou a bola. Meteu a terceira a fundo, colocou a bola em Sálvio (na altura exacta que tinha de colocar), e Gaitan lá festejou o seu terceiro golo da época. É uma tristeza colossal que isto não possa ser sempre durante noventa minutos! É a vida.

PS4: Já se assinalam penaltis por mão na bola no estádio dos dragonetes. Mas só quando acontece na grande área dos adversários do dono do dito estádio! É a vida.

PS5: A decisão, do caso da utilização ilegal de jogadores por parte do porto, só deverá ser conhecida após o final do jogo da champions que o clube-já-condenado-por-corrupção vai fazer em málaga. Consoante o resultado final, assim também deverá ser a decisão. É a vida.

E Pluribus UNUM

sexta-feira, 8 de março de 2013

Sport Lisboa e Benfica 1 Bordéus 0 LE

Excelente momento para fazer uma de jornalista (J) e de entrevistado (TB: treinador de bancada), após o jogo de ontem à noite. O jornalista é a raposa que come migalhas, o entrevistado é o treinador de bancada que vai ter de assumir o que se passou em campo.
A malta do treino complicado de ontem à noite
J: Boa noite mister, jogo estranho e complicado que teve hoje lugar no Estádio da Luz. Esperava que as coisas fossem assim tão difíceis?

TB: Sinceramente, estava à espera de uma partida difícil. O bordéus é uma equipa a passar por um momento complicado, uma vez que as coisas não correm bem no seu campeonato, apresentou-se com algumas baixas e o presidente ainda presenteou os jogadores com um bota abaixo verbal. Por tudo isto, contava que as coisas não iriam ser fáceis.

Por outro lado, o Benfica também está a passar por um período difícil. Temos tido dois jogos por semana o que, num plantel relativamente organizado para jogar a champions, se torna complicado para jogar na liga europa que tem mais dois jogos e obriga a um esforço complementar que não estávamos à espera. São dificuldades diferentes mas são cargas psicológicas e físicas sobre os jogadores de ambas as equipas que tentaram fazer o seu melhor.

J: Mas como classifica a exibição do Benfica durante os noventa minutos?

TB: Foi a exibição possível face aos condicionalismos que já enumerei. Temos um objectivo primário que é o campeonato, mas também queremos ganhar a liga europa e a taça de Portugal. É muita oferta para este grupo pelo que a condição física tem de ser muito bem gerida. Assim, fomos capazes de ser rápidos em algumas fases do jogo de modo a criar desequilíbrios. Felizmente, numa dessas transições conseguimos marcar o golo que nos deu a vitória.
Anatomia do golo

J: Não me respondeu à pergunta.

TB: Foi a exibição possível para o momento da época que atravessamos. Já sei que os adeptos queriam mais velocidade, o que equivale a dizer mais esforço. Mas os jogadores estão consciencializados do que há a fazer. Depois do golo, que considero que é do Rodrigo e não do keeper francês, dei indicações para baixar o ritmo do jogo e deixar que os franceses subissem mais as suas linhas, uma vez que até à marcação eles tinham estado a defender com um bloco muito baixo em frente à grande área. No entanto eles nunca abriram muito o jogo.

É normal que isso aconteça quando equipas menores defrontam o Benfica. É melhor estar a perder por 1-0, e aguentar ao máximo que esse resultado assim permaneça até dez minutos do fim, para depois refrescar o ataque e tentar ver se a sorte lhes pisca o olho. Eles não avançaram e nós optámos por não entrar em desvarios físicos, e mergulhar para coma deles de modo a ampliar o resultado. Se tal tívessemos feito, não é líquido que o resultado tivesse sido ampliado. Mas sinto que talvez tívessemos tido um amargo de boca.

J: Foi a exibição possível?
Anatomia de uma oportunidade não concretizada
TB: Foi.

J: Também foi possível observar que há jogadores em franca perda de frescura física, o que acaba por prejudicar o discernimento na hora de executar movimentos/passes/remates. Não pensa que poderia ter sido vantajoso, e uma vez que a prioridade é o campeonato, ter utilizado jogadores como Luisinho, Urreta ou o André Gomes? É que Gaitan e John parecem estar a dar o berro.

TB: Afirmar isso agora é fácil. Realmente parece que tal teria sido melhor visto que os jogadores que mencionou estiveram uns furos abaixo do que era esperado. Quando as coisas não correm como queremos, temos sempre uma alternativa que surge com a velocidade da luz e que se apresenta como podendo ter sido a melhor a apresentar de início... Sei que houve assobios no final do jogo. Até parece que perdemos a partida. Porventura, queriam que o Benfica goleasse o bordéus mas as coisas nem sempre acabam como idealizamos.

A época está planeada, os jogadores são estes. Ganhámos o jogo. Passo a passo sem aventuras.

J: Colocar Roderick a trinco não é uma aventura?

TB: O Roderick não é um central lento. Com sabíamos que eles iriam tentar transições directas ou jogo aéreo, optei por colocar um trinco mais alto. Roderick não é o Matic, mas deu para ver que está a evoluir e a aprender a jogar naquela posição o que lhe trás mais valor como jogador. Não se esqueça que quer Matic e Javi chegaram a jogar a central em outros jogos.

J: Considera o resultado justo, os franceses chegaram a assustar?

TB: Falar em justiça no futebol é um assunto que me deixam sempre pensativo, ainda mais no futebol Português. Onde é que está a justiça no caso do apito dourado? No caso do jogo adiado de setúbal? Na utilização ilegal de jogadores nos jogos da taça da liga e do campeonato? No caso daquele dirigente encontrado morto nas instalações do porto? No facto de os defesas do porto poderem jogar com as mãos dentro da sua grande área, e os nossos nem poderem encostar-se a um adversário que são logo expulsos?

Certo que o bordéus se agigantou em alguns períodos, mas o Benfica conseguiu quase sempre defender de forma compacta, como eles, e prevenir que eles pudessem marcar golos. Tiveram uma ou duas situações em que nos causaram alguns calafrios, mas nós fizemos o mesmo. assim penso que este resultado é justo e espelha relativamente bem o que se passou nos noventa minutos.
O Atletismo do Benfica disse prensente: Ana Isabel Oliveira, Telma Monteiro e Marco Fortes no seu apoio glorioso.
J: Então está satisfeito?

TB: Olhe, satisfeito nunca estamos certo? Eu os jogadores queríamos muito mais. Mas a nós ninguém abre as pernas para a gente ir por ali dentro nas calmas, ganhar os jogos sem nos cansarmos muito. Queríamos mais e compreendo que não seja fácil dar uma pipa de massa por um bilhete para ver um golo. Sei que apetece assobiar.

Mas lanço um repto aos adeptos menos contentes. Que tal pensarem naquele dito popular: "grão a grão enche a galinha o papo"! Ou naquele "devagar se vai ao longe". Após ouvir aqueles assobios, também me veio um dito popular à cabeça: "os cães ladram e a caravana passa".

Mas nestas situações, o melhor é esfriar a cabeça e pensar que mais noventa minutos acabaram e o Benfica ganhou mais um jogo. Se é suficiente para passar à próxima eliminatória? Isso não sei, agora estou preocupado em recuperar os jogadores e estudar a melhor maneira de ganhar os três pontos no próximo Domingo.

J: Ok mister, obrigado por estas palavrinhas. Não parece que venha a ter a vida fácil, pois o grau de dificuldade tende a aumentar com o decorrer das provas.

TB: Eu sei, mas com a qualidade dos jogadores e o apoio inequívoco dos adeptos, é minha convicção de que podemos almejar a fazer uma época condizente com os pergaminhos do clube. Não vai ser fácil. Em termos de campeonato, o poleiro é cobiçado por uma raposa muito matreira que tem muitos aliados. Em termos da liga europa, o Benfica é capaz de ser a única equipa que luta ao mesmo tempo pelo título de campeão nacional...

J: Certo mister. Mais uma vez agradeço-lhe por ter dado esta entrevista e desejo-lhe felicidades. É que eu não tenho medo em afirmar que, mesmo sendo jornalista, sou do Benfica. Não sou como os meus colegas avençados que criticam gratuitamente e mentem sem bases para o fazer de modo a continuarem a ter o seu emprego e a verem os jogos de borla. Boa noite e felicidades.

TB: Agradeço-lhe a amabilidade. Mas deixe-me relembrar-lhe que a felicidade não se tem; Ela constroi-se ao longo do tempo.

Já agora, permita-me aproveitar a oportunidade que me dá para lhe dizer que também me veio à cabeça um dito popular, assim que acabei de ouvir o meu homólogo do porto falar naquela conferência de imprensa: "Vozes de burro não chegam ao céu".

Fica o resumo:
O AMC aproveita para dizer um:
Obrigado a todos
E Pluribus Unum