sexta-feira, 10 de maio de 2013

Jogos Imortais: Porto 0 Sport Lisboa e Benfica 2

Estávamos a chegar ao fim de mais um campeonato difícil, um dos maravilhosos campeonatos do sistema com vinte equipas para pagar favores a terceiros e quartos. Tinha o Benfica um dos melhores planteis da sua história recente, construído para atacar todas as provas em que iria participar. Infelizmente, o Benfica apanhou a Roma na primeira eliminatória da taça uefa e ficou com as provas nacionais para conquistar.
Os heróis iniciais de 1991
Os heróis de 1991 no presente
Dentro do covil da fera, as coisas foram feitas para minar por completo o espírito dos jogadores e técnicos. Tudo era permitido. Todas as ideias possíveis foram jogadas para aquele balde imundo, de modo a que um clima de terror fosse criado para abalar os alicerces do líder do campeonato.

Os jogadores tiveram de se equipar no corredor porque o balneário estava... Drogado.
Lá fora, as coisas estavam desta maneira...
Estratégias do norte
Mas o Benfica tinha homens firmes, o Benfica foi à guerra sem receios. O Sueco escalou o seguinte onze: Neno, Paulo Madeira, Ricardo, Veloso, William, Paneira, Thern, Valdo, Sousa, Pacheco e Águas. No banco ficaram: Silvino, Samuel, César Brito, Magnusson e Isaías. Três avançados no banco! Não havia medo, o Benfica estava ali para ganhar.

Paneira fez um daqueles jogos de sacrifício alternado entre defesa direito (quando o Benfica defendia) e médio ala direito (quando era hora de atacar). Paulo Madeira defendia como central e fechava o lado direito da defesa quando o Benfica atacava. Sousa e Thern vigiavam todo o meio-campo. Valdo tinha a missão de orquestrar o ataque sem descurar as compensações. Pacheco não se esquecia que tinha Veloso para ajudar mas tinha mais liberdade para atacar. Águas também se sacrificou, pois tinha os postes de cimento para aturar.

Também houve polémica com o árbitro carlos «pouco» valente. Antes e depois do jogo o setubalense provou um pouco da magia que era ir arbitrar um jogo em que o anfitrião não podia perder.

Ficam aqui em vídeo, imagens e testemunhos dos momentos que antecederam a partida:


Nada fácil certo? Bem, foi um jogo duro, marcações cerradas, muita vontade de ganhar. Cada treinador apostou as suas fichas, Eriksson tinha fichas muito melhores: Samuel e César Brito. Do outro lado entraram um tal de baltasar e um mega jogador chamado jorge plácido! A entrada de Samuel, permitiu que Paneira se aventurasse muito mais lá na frente. César Brito era rápido e estava fresco... O resultado foi aquilo que muitos Benfiquistas jamais esquecerão. Ficam as fotografias do jogo memorável:
Acusaram carlos valente de favorecer o Benfica. Devem estar a brincar!
A procura do golo
A batalha da grande área: Sacrifício de Rui Águas
A batalha do meio-campo
A Batalha na defesa
O Herói do jogo
Filme do primeiro Golo
Festejos do primeiro golo
Filme do segundo golo
Fica agora o resumo do jogo, e as declarações dos técnicos no final da partida:

Prestem atenção, até porque as imagens estão com boa qualidade, à reportagem daquele que foi o maior jornal de desporto de portugal. Esta foi a edição da bola no dia seguinte a este jogo. Para quem tem tempo e curiosidade, há informações muito interessantes, nomes muito bem conhecidos... Trapaças que foram sendo aperfeiçoadas ao longo dos anos.

A leitura é imprescindível para quem quer saber como o polvo foi crescendo, vale a pena ler estes artigos.
Capa de jornal imortal 
Difícil... Acredito. Medo tiveste carlos...
Análise individual aos heróis
Crónica dos treinadores de bancada
Impressionante
Relatos impressionantes de todos os tipos de pressão concebíveis antes da partida e também relatos do descarregar da frustração de uma vitória limpinha... Limpinha! Violência física:
Até mulheres lá colocaram para fazer não sei o quê!

Também o Benfica Ilustrado se debruçou sobre a partida com relatos impressionantes:
Capa gloriosa
Mais um relato impressionante
Farpas certeiras
Boa pergunta... em 1991
Pois, ali não se assinalam penalties há já muito tempo!
Na reportagem da bola, carlos valente afirma que ajuizou bem... Que aloísio toca na bola primeiro...

Quanto à minha experiência pessoal, tenho a minha própria estória. Ainda nem tinha vinte anos de idade, no entanto jogava futebol sénior nos distritais. Lembro-me perfeitamente de que nesse domingo fomos fora, tínhamos uma equipa remendada. Ganhámos por 3-0 perante cerca de 50 a 60 pessoas que estavam sempre mais perto do balcão do bar daquele campo de jogos pelado. Fui titular, joguei a médio direito e marquei o primeiro golo da partida. Mas para ser sincero, o que de melhor aconteceu foi que marcámos o último golo no início da segunda parte mas quando o jogo estava a chegar ao fim, a malta começou a ouvir os espectadores a gritar golo. Cada um dos que estava dentro de campo, estava concentrado no jogo mas sabíamos que havia um porto Benfica... Assumi de imediato que fosse de Benfica. O meu colega, médio esquerdo, era sportinguista e foi perguntar... Fez cá uma cara! Até os jogadores adversários, já derrotados, ficaram alegres... É assim o futebol! É assim o Benfica... Perdão, o Sport Lisboa e Benfica
Correcto César, foi há 22 anos. Está na hora de, com raça, crer e ambição, administrar outra dose
Avé
Em 2005, aquando da celebração do centenário do clube, Muitos destes jogadores foram convidados a comparecer no Estádio da Luz para recordar os velhos tempos... Velhos são os trapos
Veloso, Neno, Rui Águas, Isaías, William, Ricardo e Toni.
Valdo, Schwarz, Magnusson e César Brito.
 Nessa altura, César Brito não foi esquecido, aqui fica uma conversa interessante que teve lugar na catedral:
E Pluribus UNUM

6 comentários:

  1. Assisti a esse emocionante jogo ao vivo e nem imaginava o que a equipa passou antes do jogo. Lembro-me que os corruptos em vez de regarem, alagaram as faixas laterais do campo para prejudicar o futebol veloz de Paneira e Pacheco!

    Abraço Glorioso.

    ResponderEliminar
  2. O nosso objetivo é ganhar carrega Benfica o resto e merda .............. se és tripeiro e se tas a ler este comentário vai te foder que o Campeonato e nosso sem Correção ehehehe

    ResponderEliminar
  3. BENFICAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA AMO-TE BENFICAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA :-))))))))))))))

    ResponderEliminar
  4. Amanhã o ambiente vai ser semelhante. Eles são capazes de tudo. Mas quero acreditar que não será pior. E se nesse ano vencemos contra tudo isso amanhã só podemos fazer o mesmo. É nisso que eu acredito!
    Carrega Benfica!
    Saudações Benfiquistas!

    ResponderEliminar
  5. Hoje vai ser importante.

    Mas vou ter casório o que, confesso, é uma maravilha porque não vou ter muito tempo para roer as unhas.

    O nervosismo tem aumentado nos últimos dias por isso vou desanuviar, e depois a meio da tarde... entrar em estágio.

    Viva o Sport Lisboa e Benfica

    ResponderEliminar
  6. Este jogo ilustra bem toda a podridão em que o nosso futebol está mergulhado desde que o vendedor de fogões assumiu não a presidencia,mas sim a chefia do departamento de futebol dos corruptos em meados da década de 70 ao lado do verdadeiro mentor deste sistema,o mestre da carapuça Pedroto.Só uma super equipa como a que tinhamos conseguia resistir a tudo o que lhe fizeram antes,durante e depois do jogo.Foi também o pretexto que serviu o expediente feito a mando do porco azul,para o poeta infiltrado consumar quando assumiu o comando do Benfica a vingança desejada pelo pápa pitas.Voltando a esse momento glorioso da nossa historia,Eriksson surpreendeu com a colocação de Paulo Madeira,dando maior consistencia á defesa,já que o nosso campeão do mundo funcionava como terceiro central quando defendiamos e quando atacávamos derivava para lateral direito,libertando Vitor Paneira para o ataque.Para além da defesa ter estado em grande nivel comandada pelo soberbo Ricardo,o trio de centro campistas jogou maravilhosamente o que não surpreende dada a qualidade de Paulo Sousa,do sueco que mais gostei de ver jogar no Benfica Jonas Thern e do genial Valdo.Paneira e Pacheco que na altura estavam em grande forma tiveram que jogar numa piscina já que os andrades encharcaram as laterais do campo,não impedindo por exemplo que Paneira construisse a jogada do primeiro golo.Na frente Aguas foi um batalhador e quando entrou César Brito,Eriksson deu a estocada final nos corruptos.Este era o Benfica que não se vergava,ainda me lembro de Gaspar Ramos ter descoberto que os corruptos queriam subornar um dos fiscais de linha.Que saudades deste Super-Benfica.

    ResponderEliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo